Loading...

11 de novembro de 2010

Era Uma Vez..

­11 de novembro -  [21:52:23] ­ela é a menina que leva meu tempo. 
Meu doce tempo com seus lindos olhares ela mim facina..
­Estou atendo aos passos dela, e com um olhar disfarçado eu a contemplo.
Daqui uns dia to na academia de poesia.
A minha inspiração vem dela, quem é ela sera alguem perto de mim
­Minha inspiração ela é pouca, pois os poucos momentos estou com ela
A pessoa que mim traz inspiração, ela é uma pessoa que não tem outra igual, ela mim encanta
­Essa inspiração vem dela , quem é ela sera a brisa o vendo ou a lua.

By: R.A.

25 de outubro de 2010

Foi

As vezes o sol, as vezes a lua, as vezes o tempo ou as estações;
As vezes a luz, as vezes o escuro, as vezes o frio, as vezes o calor;
As vezes uma palavra, as vezes uma frase, as vezes um texto, as vezes um olhar;
As vezes um geito, mal feito, meio sem geito, sem efeito, as vezes na dor.

3 de outubro de 2010

Quando descobri o seu olhar

Quando descobri o seu olhar
E ele me surpreendeu, desceu fundo dentro de mim
Encontrou a pérola escondida, voltou-se para o céu
E refletiu em meus olhos o brilho das serenatas ao luar.

O sonho dos apaixonados, os desvarios intríssecos deslisantes nas pedras do mar,
O cheiro suave da flor perfumada, encantada
Entregue nas mãos cujo um laço havia no dedo anelar
Presente divino, amei-te sonho meu
Voz do luar, boneca de trapos, lilás dos riachos, moça
Leve inclinação reverente, inclinação ao estender-te a mão tomar-te o laço 
Nun pacto de amor, de emoção, de sonhos e paixão, amor.

Minha querida, as noites passadas, molhadas por lágrimas, perguntas exaustivamente desgastadas
De livre afeto, de certo me entrego
Porque o preço que paguei e as noites que gastei orando pra você me aceitar
Me fizeram ver com toda certeza do meu ser, que era você que eu queria
Escolhida minha, minha noiva, minha senhora, minha mulher das cordas
Enlaçou-me, Sonho meu. Te amo!

Luz divina, meu amor, entreguei-te o meu coração, sem nada pedir em troca 
E como um cavalheiro esperar a resposta, da minha amada
A Julieta dos meus sonhos, o cheiro suave da rosa que encontrei aberta e vistosa em teu olhar.
Desmaio e sonho, porque o "sim" levou-me ao êxtase
E tudo que mais quero agora é te amar, minha linda Flor
E passar o resto dos meus dias ao teu lado, amor.

15 de setembro de 2010

Prefiro

Eu não quero lembrar de suas palavras
Não quero mais tocá-las
Para não ter que sentir novamente o que senti
Ja provei pra mim mesma que te amo
O relembrá-lo se tornará perda.

Perderei o esquecido, o ultrapassado;
Perderei o superado, o surpreendido;
Perderei o concretizado, absorvido, porém não desmerecido.

Se eu pensá-lo vou trazer de volta a dor.
È amor o te ouvir, mas comprime-me o coração o ter que fazê-lo;
Comprimiria mais  a ausência.
Por isso pergunto: E aí, como estás?

Sem dolo,
Porque o amor que sinto
E o medo de te perder é maior;
Prefiro sofrer ao seu lado
Ao perder-te por um bem-estar,
Que é oposição, se o meu bem-estar
É você.

Te amo demais para não ouvir-te, meu bem
Diga-me tuas palavras,
Que as farei descer ao meu coração, meu bem
E se propagar soando:

Te prefiro...

                                             Te prefiro...

        Te prefiro...

                                                             Te prefiro...

Te prefiro, meu bem.

28 de agosto de 2010

Apenas uma Canção de Amor - Rosa de Saron

Enquanto a chuva molha o meu rosto
Ela esconde a minha lágrima
Que insiste em encontrar o chão.


Enquanto o frio toma o meu corpo
Eu aprendi sem a gramática
Que saudade não tem tradução.


Eu preciso tanto de Você
O seu amor é o que me faz crescer
E conhece como a própria mão
Cada medo do meu coração.


Hoje pensei tanto em nós dois
Que não podia deixar pra depois
E eu vim aqui só pra dizer:
- Que eu sou louco por Você




(...) e ...


Estou andando, andando
Não sei onde vou cair
Só sei que terei que regredir
Mas não poderei esquecer tudo aquilo que vi.

Me embrenho, me tranco, me perco
Olhando pra dentro,
Atrás de um sonho
Que se repete todas as noites
E vejo, são camas, são lençois de linho
É o fexe de luz que surge da janela
Iluminado o vazio mais cheio que conheço.

Em um quarto de sonho
Eu sento e vejo, e sinto
A brisa,o tempo, o cheiro
Em um sonho de quarto
De um quarto de sonho.

Brilhante decisão
Saudosa sugestão
O inconformismo expesso,
Mal passado, intenso
Vulgar decisão do "sempre":

O sempre sentir
O sempre ver
O sempre procurar
O sempre prosseguir.

É um conto mal contado
Rabiscado em papel,
Na bancada de um quarto;
Que quarto entregue ao léu!

27 de agosto de 2010

Dos títulos que me sumiram á cabeça. Não consigo mais pensá-los.

Queria me fazer de forte,
De desentendida
Só pra você ver
Que amo mesmo e
Apesar de ser difícil,
A vergonha do dizer o sim
Não esconde o medo de admitir
Que o amor que sinto
Pode mudar a história do meu tempo
E fazer costumeiro aquilo que te fez ficar perplexa.

O que sinto na  verdade não é amor,
É uma simples inquietação 
Que faz acelerar os batimentos
E produz um medo de cair tão grande
Que o não admiti-lo não traz conforto
E nem alivia a dor,
Tampouco a respiração.

Ha um fluxo de energia
Que passa por meu corpo
E sem pedir licença invade
E quebra as barreiras
Entre a razão, sonho e realidade;
Me levam ao céu dos sonhos
E ao inferno da culpa.

Porque tudo precisa ser tão rígido?



 

24 de julho de 2010

Ótimo consolo do destino
Que hoje me deu você,
Você que não me ouve, 
Que não faz juízo às minhas palavras;

Você que me olha, que tenta me entender,
Que tenta fazer desse olhar venérea impressão
Ainda pobre, ingênua, crua, ocre.

Movimentos exatos, embora subjetivos, 
Tentamos a comunicação,
Tentamos fitar os olhos no que se pode vir além das impressões,
No que o incompreensível gesto, torna-se ânimo e fogo dentro do coração, que vê no diferente a possibilidade do tato e contato.
Nível mesquinho na natureza do que acarretam a ele.

Motivou-me, encantou-me, libertou-me da sagrada ignorância que separa dois mundos.

Sua presença quebrou um grande tabu,
áquele que diz que se se é perguntado algo, deve-se resposta, e como se cala, porque suas palavras os são incompreensíveis, são levados como simples brinquedos de gozação do destino.  
Tornou-se amigo, tornou-se irmão,

E não sou louca por ouvir palavras que nunca sairão da sua boca e sim de suas mãos.

Darte-ie um recado: Estou aqui, te entendo, te ouço, te vejo e és significantemente belo por ser do geito que és, detentor da possibilidade de não ouvir tantas coisas que não queria e assim, guardar o encanto da inocência, o qual em outras ocasiões talvez não o tivesse.

17 de julho de 2010

Um dia a gente aprende que...

...Amar não significa apoiar-se, e que companhia nem sempre significa segurança.

E aprende que não importa o quanto você se importe, algumas pessoas simplesmente não se importam...

E aceita que não importa quão boa seja uma pessoa, ela vai feri-lo de vez em quando e você precisa perdoá-la, por isso. Aprende que falar pode aliviar dores emocionais.

Descobre que as pessoas com quem você mais se importa na vida são tomadas de você muito depressa, por isso sempre devemos deixar as pessoas que amamos com palavras amorosas, pode ser a última vez que as vejamos. Descobre que se leva muito tempo para se tornar a pessoa que quer ser, e que o tempo é curto. Descobre que algumas vezes a pessoa que você espera que o chute quando você cai é uma das poucas que o ajudam a levantar-se. Aprende que há mais dos seus pais em você do que você supunha.

Aprende que quando está com raiva tem o direito de estar com raiva, mas isso não te dá o direito de ser cruel. Descobre que só porque alguém não o ama do jeito que você quer que ame, não significa que esse alguém não o ama, contudo o que pode, pois existem pessoas que nos amam, mas simplesmente não sabem como demonstrar ou viver isso.

Aprende que nem sempre é suficiente ser perdoado por alguém, algumas vezes você tem que aprender a perdoar-se a si mesmo. Aprende que com a mesma severidade com que julga, você será em algum momento condenado. Aprende que não importa em quantos pedaços seu coração foi partido, o mundo não pára para que você o conserte...

 William Shakespeare

18 de junho de 2010

A Felicidade das Borboletas

 Olá! Meu nome é Marcela. Tenho 9 anos e hoje é um dia muito, muito, muito especial para mim! Sabe, eu estudo balé e daqui a pouco vou me apresentar pela primeira vez. Minha mãe disse que estou linda! Minha fantasia é de borboleta e a música que eu vou dançar faz a gente sentir como se estivesse voando!
Eu sei que a platéia está cheia, pois posso ouvir muitas pessoas se movimentando, conversando. São nossos pais e amigos que vieram assistir à nossa apresentação. Eu nunca tinha estado em um lugar com tanta gente antes! E, imagine só, todos vão me ver dançar!
Há um ano, quando pedi a minha mãe que me levasse até uma academia de dança, todo mundo achou estranho. Mas a música é tão maravilhosa e me faz sentir tão bem, que logo ela concordou. 
Minha professora é muito especial. Ela me apresentou às outras crianças, explicou como poderiam me ajudar a ser uma bailarina e hoje elas são minhas melhores amigas... 
No mês passado, quando eu perguntei o que era uma borboleta, minhas amigas trouxeram muitas para mim. Colocaram as borboletas nas minhas mãos, fizeram com que eu sentisse suas asas delicadas e depois me ajudaram a soltá-las... E eu sei que elas voaram para bem longe, felizes e livres. 
Eu sei disso porque há coisas muito especiais, que só se vêem com o coração; por exemplo, a felicidade das borboletas... e crianças especiais, como eu, que vêem tudo com o coração. 
E agora chegou nossa vez. Eu e minhas amigas.  Vamos entrar no palco e dançar a dança das borboletas, só queria que todas as pessoas que estão na platéia pudessem sentir o que eu sinto: a felicidade das borboletas, que, mesmo sem as poder ver com os olhos, posso enxergar a felicidade, no coração de cada uma de nós, um sentimento tão especial que é capaz de nos fazer voar, livres como borboletas.  para mim, a mesma que elas dançaram, quando nós dançarmos,
Marcela nasceu cega. Nunca viu o pôr-do-sol ou as cores de um jardim florido... Mas conhece o sorriso de seus pais e o abraço de seus amigos, pois Marcela é muito querida e amada. Como toda criança, Marcela gosta de brincadeiras, de boneca, de bicicleta, de parquinho, de música, de piscina e muito mais. E, também como toda e qualquer criança, precisou de ajuda para ganhar confiança, para aprender coisas novas. Graças a todo esse amor, a cada dia que passa, desenvolve novas habilidades. E Marcela tem muitas, como a de enxergar a felicidade com o coração!

Patrícia Engel Secco

4 de junho de 2010

Ainda espero..

Me perdi de novo.
Meus sonhos voaram para longe, os meus super-heróis viajaram. Estou só.
Pensei em não te machucar, em ficar parada, em silêncio pra ver se o seu olhar expressava que consegui esconder o meu medo; mas não me contive, peguei na sua mão, meus dedos suavemente percorreram os seus e gritavam aflitos afim de que você tirasse-os da solidão, o que eu via era muito mais do que toques, o suor do tremor interno, pulsante também estava ali, poderia não significar nada, e mesmo o nada é algo importante, ao menos para mim.
Vejo a sua mão dobrar, e meio que como um consolo apertou a minha, o meu ar acabou e o nada com o tudo que viria após o minuto vazio me tomaram, e o temor não era mais pelas mãos, e sim pelos olhos que frios não olhavam pra mim.

Olhei-te, mas tu não me olhas-te; aguardei com o relógio do pulso os milênios que se passaram em minutos vividos, a resposta que não veio e ainda aguardo; quando você virou não me viu, ao seu lado estava um poste, que com seus olhos ofuscantes te olhava, mas você nem sabia o que neles se guardavam. A resposta não foi dita, olhar não correspondido e o aperto não significava mais do que educação.
Triste história inacabada, de uma página que não foi virada, de um tempo que se chama agora e torna infinito o som dos martelos vermelhos, que batem como loucos que lutam por uma causa sem som. É só o que eu ouço, é só o que me atrái. Triste sensação que me alimenta a alma.
Posso eu livrar-me da dor? é mais real que o toque, que o beijo, que o corpo, que o seu amor. Se puder, me tires daqui!

14 de maio de 2010

Flor..

Me diga Flor... de onde vem o teu perfume? acaso vem do interior do brilho do sol que te alumia? porque se for de lá que recebes o odor que tens, quero banhar-me no brilho que te toca sem desdém e acalentar-me no pavio que vai e vem, olhando em seus olhos enquanto você sorria.
Me diga Flor... acaso teu frescor vem do mar? banhar-me-ia nessas águas se disseres que é de lá, das ondas que vem e vão e na ressaca repousas, em um surto de mornidão no caso de o astro fervente nela tocar, ao fingir que vai dormir, mas na verdade vai acordar.
Me diga Flor... ontem te vi dançar, ensina-me os passos e mostra-me como usar, as asas do vento que sopra ao seu cabelo levar, e sem se esmorecer, ajuda a tecer a partitura do som que não te deixas desistir de nas cifras bailar? Posso eu competir com a graça dos movimentos insertos, armonicamente concretos, suavemente levados pelo impulso de adorar?
Me diga Flor... o brilho que tens acaso é da lua, ao tocar no mar tão tenre e crua? Posso medi-la para saber se é do tamanho da tua, aquela que dentro de ti diz: continua! e que te faz parar e dizer: sou sua!? Se me disseres que sim, certamente me alegrarei, e sem motivo algum direi o motivo do E.
Me diga Flor... o E te disse o motivo de tê-lo? Talvez devesse vÊr o sentido do sEr, quando tento dizer, que Especial é aquele que crÊr que, dentro de vocÊ existe muito mais que uma razão para vivEr, e que é Emocionante entrar em uma atmosfera de Encantos que ao parEcer instrasponível, te leva a vEncer, Flor.
Me diga Flor... Posso te descrever? és tão meiga assim por brilhar, ou porque fazes teatro, dança, correr ou gritar? Banhas-se em algodão ou o veludo por ser botão, em suas pétalas foram postos para abraçar? Diz de cor, de jeito, de som, de feito; ages, repartes, encantas e sentis, seu choro é orvalho ou derramas desejos? Entregues manejos aflitos então, te fasso um pedido me dês sua mão, cantas comigo, me ensinas a sorrir, me levas além dos sonhos, por entre os recados que escrevestes, eu li. Me fazes um queijo desejo aprender, se sei o que é amizade, desejo reler; me mostras o chão e o lado direito, eu quero vencer e conselhos aceito, levante-se comigo vamos brindar, um novo recomeço, eu sento e me esqueço desejo andar, olhai o silêncio talvez não dê tempo do dia e da hora, ou neste momento, de quem sabe dizer que o K é saudade de um tempo que não se foi, e vem o depois de te ver passar e correndo ao seu encontro gritar "amiga"!
Me diga Flor... esquentas?

Retrato

Olhei-te, forte retrato na parede, sinto-me como um sonho, que ao ser interrompido por um subto resmungo, deseja voltar, em um sono arranjado. Desastre, perdi-o.
Vejo o céu acima dos teus olhos, sempre claro, risonho, olhais para cima, canto. Algo urrou, não foi o lobo, não foi o vento ou relâmpago, foi a árvore, tão firme, densa, robusta forma revelada em tinta terra; andas imóvel na excelente expectativa do conto, do tático; seguras um simbolo de trabalho e rigidez, cavas um sonho, enterras um ponto. Quão extenso segredo esconde o seu interior, quão formoso sorriso do suor escoa.
Vejo um tom, não é rosa, nem verde, não é morto ou frio, mas revela o sim, quente sensação de vida entre as árvores, feliz realidade escondida atrás de traços longos e fortes, móvel e cheio passou, está e voltará, porque se a aurora encanta, essa imagem destranca um ato cego de olhar; vejo dez traços, nove pontos de encontro e um só chão.
Movimento no imóvel objeto, que decorar é o fútil significado. Frenesi interno, iniciou-se o êxtase, forte debate a corrente de intrigações formada no desejo de surrealizá-lo, célebre encontro entre a idéia e o ser, os tantos olhares expressam a sua multiformedade. Quem o retratou só queria repousar.

Bernini

Giovanni Lorenzo Bernini nasceu em Nápoles no seio de uma família florentina, filho de Pietro Bernini, escultor maneirista. Cedo acompanhou o pai a Roma, onde suas precoces habilidades de prodígio logo foram notadas pelo pintor Annibale Carracci e pelo papa Paulo V começando assim a trabalhar como artista independente. Seus primeiros trabalhos foram inspirados por esculturas helenistas e romanas existentes, que pôde estudar em detalhe.
Virtuosismo e imitação do mundo eram os dotes do escultor, mas foi o gênero de retratos ou bustos que fez sua fortuna. Por toda sua vida retratou papas, reis, nobres, personagens mais importantes e influentes de seu tempo.









                                                          The Rape of Proserpina

                                                               Apollo and Daphne




7 de maio de 2010

Lembrança


O ENCONTRO
 

Nosso encontro foi marcado por muita emoção.
Meus olhos brilhavam e de repente fui tomada
Todo meu ser “paralisava”, não podia mais me conter
Lágrimas molhavam meu rosto, lágrimas de emoção,
Lágrimas de alegria a sensação de alguém que nascia
de novo e realmente nascia, seu amor tomou
conta de mim, invadia minh’a alma
O sentimento era tão puro e sincero que inflamava
meu ser de amor, pelo toque suave das mãos que me
acalentavam senti uma grande paz, já não era mais
um lugar comum,“não havia pessoas ao meu redor”,
suas grandes asas me transportavam para o
sobrenatural, inexplicável sentimento,
indescritível sensação, assim como a corsa anseia
por água meu ser suspirava pela doce presença
que estava tão perto de mim, de forma que
meus pés corriam apressadamente ao seu encontro,
meu braços ansiosamente desejava abraçá-lo,
o vento do teu Espírito envolvia-me
de maneira que me transformou completamente
de repente ganhei asas, minhas mãos se soltaram
das correntes que me aprisionavam,
seu sangue lavou-me e eu estava livre,
pois VOCÊ me libertou, tomou-me em seus braços
e voou comigo, debaixo das suas asas encontrei abrigo,
um lugar para descansar...
Hoje sou feliz de verdade, pois nosso encontro
marcou a minha vida e me trouxe a verdadeira paz.
JESUS !



Gleice Levita

28 de abril de 2010

"A Analogia da Rosa"

Lembro-me de quando te conheci... 
De quando te olhei pela primeira vez,
Confesso que o meu olhar não foi suave nem agradável, mas isso mudou, porque você me fez mudar o olhar.
Ontem te olhei com respeito, te vi com carinho, com amor, a paz de te encontrar me fez sorrir. 
E o anjo tomou formas controversas por que o amor o fizera mudar.
Ontem uma flor rara daquelas que é tão difícil vê-la no seu dia sublime, por ser privilégio de poucos, no silêncio abriu.
E o anjo que estava escondido atrás da roseira viu-a, foi o momento de vislumbração mais suave e serena que ja teve. O encanto do primeiro olhar à luz da lua que iluminava a flor em meio a escuridão, em uma noite de lua nova. E o anjo se apaixonou.
Ele encontrara na rosa a música e em sua pétalas, gotas que de amor suava, pois fora encantada pelas estrelas naquela noite de luar. A rosa era vistosa, vermelha, de uma pureza e delicadeza incrível; não havia mais nenhum sentimento bom que o anjo ñ sentira, somente a admiriração pasma diante da ternura da rosa, do quão especial e importante ela era.
A rosa virou parte da vida do anjo, ele ía admirá-la, sentado em uma pedra que ficava perto do riacho onde a rosa estava, e observava-a por longas horas, onde de tanto amor suspirava.
Hoje, construíram um muro, o anjo só pode vê-la ao esgueirar-se.
Um muro de tijolos molhados com o suor do árduo trabalho, que abafam o amor e deixam ver somente a luz do brilho do interior; que sorte teria se do céu vinhesse logo esse sopro tão esperado.
Ouve-se um choro. Silêncio! o ser com asas clama.
A rosa o está a ensinar, vês, é o caminho do solitário que o ensina a anda, a correr com suas próprias pernas, a seguir a brisa em direção ao mar.
O anjo então levanta-se, de ansiedade começa a lutar e antes que se perceba para, porque a rosa começou a brilhar, então entende que é na luta, no orgulho, no fogo, que se prova assim como o ouro, o quanto vale no coração guardar um tesouro, que mesmo não podendo tê-lo é algo de que se vale a pena lutar.
Várias estações se passam e a rosa permanecia ali, muda, cheia, linda e pura. Porque o mais puro amor, na vida do anjo se renovava a cada dia.


                                             you are my dream! ♥ 
                                                          Vanessa Lisboa..

16 de abril de 2010

Ex-votos

Fruto de uma aula de campo de história da arte:
Em Almadina, subimos a Serra do Corcovado e encontramos em uma fissura na pedra chamada de "Pedra Santa", ex-votos feitos por moradores de Almadina; um ritual de cura onde faziam objetos com argila para representar as partes que estavam enfermas. 










6 de abril de 2010

Arte Rupestre


Arte Rupestre é o nome que se dá ao tipo de arte mais antigo da história, baseado principalmente nas pinturas, desenhos ou representações artísticas gravadas nas paredes e tetos das cavernas.
Esse tipo de arte teve seu início no período Paleolítico Superior, e as formas que o homem usava como material artístico eram ossos de animais, cerâmicas e pedras, além de fabricarem as tinturas através das folhas das árvores e do sangue de animais.

Os desenhos representados nas cavernas eram figuras de grandes animais selvagens, a figura humana raramente era representada, sugerindo muitas vezes atividades como a caça, normalmente não eram feitos de forma naturalista, como nos desenhos de animais.

Antigamente se pensava que a arte rupestre era uma armação criada pelos criacionistas (que crêem que Deus criou tudo) para desmentir Darwin, já que segundo a sua teoria os homens daquela época não eram capazes de manifestações artísticas como a arte rupestre. Contudo, a veracidade da arte rupestre foi comprovada, dando assim, a oportunidade de gerar valiosas pistas quanto à cultura e às crenças daquela época.


27 de março de 2010

Debora Falabella

Aos doze anos, Débora já fazia teatro amador em Belo Horizonte. Aos quinze anos, participou da sua primeira peça profissional, Flicts, do escritor Ziraldo. Até os dezoito anos, interpretou outras personagens infantis e estudou dramaturgia. Foi então que entrou na faculdade de Publicidade, cursando somente um ano e meio.
Fez um teste para a Rede Globo, para um cadastro de atores mineiros, e pouco tempo depois foi chamada para outro teste, desta vez era uma vaga em Malhação. Foi seu primeiro trabalho na televisão.

Carreira

       Cinema

          Curta-metragens
  • 2001 - Françoise.... Françoise
  • 2006 - 5 Mentiras.... Chucky
  • 2008 - La Dolorosa.... Miranda
  • 2008 - Quarto 38.... Simone
  • 2009 - Doce Amargo
          Longa-metragens
  • 2002 - 2 Perdidos numa Noite Suja.... Paco (Rita)
  • 2003 - Lisbela e o Prisioneiro.... Lisbela
  • 2003 - Looney Tunes: Back in Action (dublagem).... Kate
  • 2004 - Cazuza - O Tempo Não Pára.... Dani (Denise Dumont)
  • 2004 - A Dona da História.... Carolina (Jovem)
  • 2007 - Primo Basílio.... Luísa

 Teatro

  • A Serpente, de Nelson Rodrigues, direção de Yara de Novaes
  • Noites brancas, de F. Dostoievski, direção de Yara de Novaes
  • O Continente Negro, de Marco Antonio de la Parra, direção de Aderbal Freire Filho
  • Flicts, de Ziraldo,

 Televisão

  • 1998 - Malhação.... Antônia
  • 1999 - Mulher
  • 2000 - Chiquititas Brasil.... Estrela
  • 2001 - Um Anjo Caiu do Céu.... Cuca
  • 2001 - O Clone.... Mel (Milena Ferraz)
  • 2003 - Agora É que São Elas.... Léo (Leonarda Mendes Galvão)
  • 2003 - Casseta & Planeta, Urgente!.... Ela mesma
  • 2004 - Um Só Coração.... Rachel Rosenberg
  • 2004 - Senhora do Destino.... Duda (Maria Eduarda Corrêa de Andrade e Couto)
  • 2006 - JK.... Sarah Lemos Kubitschek (1ª fase)
  • 2006 - Sinhá Moça.... Sinhá Moça (Maria das Graças Ferreira)
  • 2006 - Sitcom.br
  • 2007 - Duas Caras.... Júlia de Queiroz Barreto
  • 2009 - Som & Fúria.... Sarah

 Prêmios

Ano Categoria Festival Trabalho Notas
2001 Special Mention Première Brazil Françoise Vencedora
2001 Short Film Competiton 35mm - Best Actress (Curta em 35mm - Melhor Atriz) Golden Kikito Françoise Vencedora
2001 35mm Short Films - Best Actress (Curtas 35 mm - Melhor Atriz) Candango Trophy Françoise Vencedora
2001 Melhor atriz revelação Prêmio Qualidade Brasil RJ Um Anjo Caiu do Céu Vencedora
2001 Melhor atriz revelação Prêmio Qualidade Brasil SP Um Anjo Caiu do Céu Vencedora
2002 Atriz Revelação Domingão do Faustão O Clone Vencedora
2002 Atriz Revelação Prêmio Austregésilo de Athayde O Clone Vencedora
2002 Melhor Atriz Candango Trophy Dois Perdidos Numa Noite Suja Vencedora
2004 Melhor Atriz Cinema Brazil Grand Prize Dois Perdidos Numa Noite Suja Vencedora
2004 Melhor Par Romântico Prêmio Contigo Agora É Que São Elas Indicada
2005 Melhor Par Romântico Contigo Senhora do Destino Indicada
2008 Melhor Atriz Contigo Duas Caras Indicada
2008 Melhor Par Romântico Contigo Duas Caras Indicada




18 de fevereiro de 2010

Freddie Highmore


Alfred Thomas Highmore nasceu na Inglaterra em 14 de fevereiro de 1992, tornando-se 15 anos de idade hoje. Seu primeiro papel foi no filme, Women Talking Dirty onde desempenhou o papel de Sam, o filho de uma mãe solteira em Edimburgo, na Escócia, que desenvolve uma amizade improvável com um tímido cartunista. Freddie seguimento a esta performance com o especial de televisão, Feliz Aniversário de Shakespeare em que jogou Steven Green, The Mist of Avalon, onde desempenhou o papel do jovem Rei Arthur, Jack and The Beanstalk: The Real Story e eu te vi onde jogou a parte do Oscar Bingley.

Primeiro filme de Freddie grande, porém, foi Dois Irmãos, que conta a história de dois filhotes de tigre que são separados e levados para o cativeiro, só para depois se reunir anos depois como inimigos por um explorador que, inadvertidamente, obriga-os a lutar uns contra os outros. Freddie desempenha o papel de "jovem Raoul no filme e teve um tempo incrível filmagem no Camboja com novos filhotes de tigre nascidos.

Freddie logo em seguida com um excelente desempenho no filme Finding Neverland, onde desempenha o papel de Peter Llewelyn Davies, o rapaz que inspirou o livro 'Peter Pan' por JM Barrie. Freddie recebido muitos elogios por sua performance neste filme e foi indicado para o Screen Actors Guild Award por seu desempenho e ganhou um Critics Choice Award e Golden Satellite Award. O maior deles talvez complementar, porém, estava começando a parte de Charlie Bucket no novo filme Charlie and the Chocolate Factory depois de sua co-star Finding Neverland, Johnny Depp (que interpreta Willy Wonka no filme), recomendou-o pessoalmente para o papel depois de ser tão impressionado com ele durante as filmagens "Finding Neverland" juntos. Freddie também estrelou em outra adaptação do livro, no filme 5 crianças e baseado no livro de E. Nesbitt, jogando um dos papéis principais de Robert.

Em 2006, Freddie foi visto em mais dois filmes, um bom ano em que jogou a versão mais nova do personagem de Russel Crowe, o que lhe valeu uma indicação ao Broadcast Critics Awards de Melhor Ator, e Arthur and the Invisibles baseado nos livros de Luc Besson e dirigido por ele próprio. O filme foi um novo desafio para Freddie com a parte dele que é viver de animação de ação e parte dela, o que significava que Freddie tinha que fazer alguma voz sobre o trabalho.

Em 2007, Freddie foi visto em August Rush, no qual ele desempenhou o papel de Evan Taylor, um oprhan que encontra seus pais através da música. Ele também foi ouvida em The Golden Compass, baseado no popular livro de Phillip Pullman, como a voz de Pantalaimon.

Em 2008, Freddie foi visto no que foi talvez um dos seus papéis mais challening a data em que ele apareceu em As Crônicas de Spiderwick. O filme foi baseado nos livros de Tonu Di Terlizzi e Holly Black, e Freddie jogado gêmeos no filme!

Freddie completou as filmagens partes 2 e 3 de "Arthur and the Invisibles série por Luc Besson, que estão com lançamento previsto para 2009 e 2010. Ele também estará oferecendo seus talentos vocais mais uma vez em 2009, ele estará fornecendo a voz de Astro Boy no filme do mesmo nome, baseado na popular série de televisão de anime.

Freddie recentemente reservado o papel principal em The Beautiful diversa, baseada em um romance de Domingos Soares, que é uma vinda de drama seguintes faixas etárias 17-year-old Nathan Nelson, que acorda de um coma com uma memória excepcional e sinestesia, em que as palavras, formas ou números tornam-se cores, cheiros e sabores. Seu pai, um professor de física exigente, manda-o para um instituto de pesquisa de sábios para encontrar um uso para seus novos dons. O filme será uma uma muito interessante para Freddie, pois ela será a primeira vez que ele vai jogar um personagem da mesma idade que seu verdadeiro eu, tendo previamente tomado em papéis menores.

Também em 2010, Freddie irá tomar o papel principal na morte de um super-herói, baseado no livro de mesmo nome de Anthony McCarten em que ele vai jogar Donald, um jovem adolescente que sofrem de leucemia, que cria o seu próprio reino de fantasia comic-book a fim de escapar das lutas de sua doença traz.

Quando Freddie não está filmando, ele gosta de jogar futebol com os amigos no parque e que apoia a equipa de futebol, o Arsenal. Ele também está aprendendo a tocar guitarra.

Filmografia
Film & Television
♥ The Beautiful Diversos (2010) (Pre-Prod) ... Nathan Nelson

♥ Death of a Superhero (2010) (Pre-Prod) ... Donald

♥ Arthur and the Two Worlds War (2010) (Pós-Prod) ... Arthur

♥ Master Harold ... And the Boys (2010) (Pós-Prod) ... Hally

♥ Arthur and the Revenge of Maltazard (2009) ... Arthur

♥ Astro Boy (2009) (voz) ... Astro Boy

Conto ♥ A Fox (2008) (voz) ... Little Jack

♥ As Crônicas de Spiderwick (2008) ... Simon / Jared Grace

♥ The Golden Compass (2007) (voz) ... Pantalaimon

♥ August Rush (2007) ... Evan Taylor ( "August Rush")

♥ Arthur and the Invisibles (2006) ... Arthur

♥ Um Bom Ano (2006) ... Young Max Skinner

♥ Charlie ea Fábrica de Chocolate (2005) ... Charlie Bucket

♥ Finding Neverland (2004) ... Peter Llewelyn Davies

♥ Dois Irmãos (2004) ... Raoul Normandin

♥ O som do coração.

♥ I Saw You (2002) (TV) ... Oscar Bingley

♥ Jack & The Beanstalk: The Real Story (2001) (TV) ... Filho no Parque

♥ As Brumas de Avalon (2001) (TV) ... O jovem Arthur

♥ Feliz Aniversário de Shakespeare (2000) (TV) ... Steven Green

♥ Women Talking Dirty (1999) ... Sam

♥ Walking on the Moon (1999) (cenas excluídas) ... Little Boy

Video Games
♥ Astro Boy (2009) (VG) (voz) ... Astro Boy

♥ As Crônicas de Spiderwick (2008) (VG) (voz) ... Simon / Jared Grace

♥ The Golden Compass: The Game Video (2007) (VG) (voz) ... Pantalaimon

♥ Charlie ea Fábrica de Chocolate (2005) (VG) (voz) ... Charlie Buck

Favouritos
Cor: Azul
Alimentação: chinês ou italiano
Escola Temas: Desporto, Línguas e Matemática
Livro: "Catcher in the Rye Senhor 'e' das Moscas"
Filme: Edward Scissorhands
TV Show: Little Britain
Ator: Johnny Depp
Atrizes: Kate Winslet, Helena Bonham Carter













vídeos

Loading...

Flickr

Ocorreu um erro neste gadget